🤔 Como DIMENSIONAR DISJUNTOR GERAL considerando DEMANDA e QUEDA DE TENSÃO?

Grupo VIP para o Curso de Projetos 👉 https://ift.tt/3tZTTO7

⚡️ AULA GRATUITA: Como Fazer Uma Instalação Elétrica Completa do Zero, Com Facilidade, Mesmo que Você Não Seja Um Eletricista Profissional:
➽ https://ift.tt/3hP60ev
——

✅ Gostou desse vídeo?
– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –
✍️ Deixe seu comentário
📢 Compartilhe com os amigos
🕵 Siga nossas redes ➽ https://ift.tt/2MyzEU5
– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

👉 Curso NR10 com 20% de desconto
➽ https://ift.tt/3f6jjW6
——
Fala meus queridos, tudo massa?

Até o momento já aprendemos a prever a carga para os circuitos de iluminação e tomadas, sejam de uso comum ou uso específico, como foi no exemplo do chuveiro. Já aprendemos também a dimensionar os cabos e eletrodutos levando em consideração os fatores de agrupamento, de temperatura e taxa de ocupação. Enfim essa semana tá um show de informações né não?

E para finalizar com chave de ouro esta nossa semana, vamos aprender a dimensionar o disjuntor geral de proteção e aproveitamos o gancho para falar sobre demanda e queda de tensão. Estão preparados? Então, bora pra aula…

Bom turma, o primeiro passo para realizar o dimensionamento da proteção geral de um QDC e por consequência, seus cabos alimentadores, é fazer o levantamento da potência total instalada de todos os circuitos da instalação.

Para ficar mais fácil entender, vamos dar um exemplo: em uma residência, após você fazer todo o dimensionamento conforme ensinamos antes, seu QDC terá 7 circuitos

Fazendo a soma da potência de todos os circuitos, temos uma potência total instalada de 13.890 VA. E para sabermos a corrente de um circuito utilizamos a seguinte equação:

CORRENTE = POTÊNCIA
TENSÃO

Sendo assim, a corrente total deste QDC seria 13.890VA / 220V = 63,13 A

Sendo assim, usando a tabela 36 da NBR 5410 como referência, teríamos uma proteção geral de 70A e cabos alimentadores de 16mm² (isso levando em consideração cabos com isolação em PVC e método de instalação B1)

Só que aí não paramos por aqui, como estamos falando de dimensionamento de disjuntor geral a gente precisa aplicar um novo fator que é o fator de demanda. Mas pra que serve esse tal fator de demanda André?

Bom, já falamos em um vídeo anterior que o fator de demanda nada mais é do que um número, sempre menor do que 1, que a concessionária de energia adota para alguns tipos de cargas com o objetivo de auxiliar no dimensionamento das instalações elétricas deixando o dimensionamento mais dentro da realidade da instalação.

Como assim dentro da realidade? Bom, sabemos que em uma instalação residencial é pouco provável que a gente utilize todas as tomadas ao mesmo tempo, bem como alguns equipamentos de carga mais “pesada” digamos assim. Então o fator de demanda vem apenas para ajustar a carga para essa realidade, ou seja, ele vem para diminuir um bocadinho essa somatória de cargas, afinal como já falei, dificilmente tudo irá funcionar junto né.

E onde encontramos estes fatores André?
Cada concessionária de energia possui um valor de demanda. Vamos utilizar nossa concessionária local aqui de Belo Horizonte como referência, neste caso a CEMIG.

Na tabela 11 da ND 5.1 da CEMIG, ela recomenda um fator de demanda para ser utilizado apenas para iluminação e tomadas para cada faixa de carga instalada.
Em nosso exemplo, nós temos 1 circuito de iluminação e 4 circuitos de tomadas de uso comum. Fazendo a soma das potências, temos um total de 6.890 VA

Agora com este valor vamos consultar na tabela 11 da ND 5.1 da CEMIG. percebam que para este valor devemos multiplicar o valor de demanda de 0,60. sendo assim, nossa potência demandada será de 6.890VA x 0,60 = 4.134VA

Fator de demanda para iluminação e tomadas aplicado agora é hora de aplicar para os outros circuitos. Restou o micro-ondas e chuveiro.

Agora vamos consultar na tabela 14 da ND 5.1 da CEMIG para determinar a demanda de nossos eletrodomésticos de aquecimento, neste caso, o forno de microondas e o chuveiro.
Somando as potências destes equipamentos, temos um total de 7.000VA. Como são 2 equipamentos, aplicamos o fator de demanda de 0,92, nos dando uma potência demandada de 7.000 x 0,92 = 6.440VA

Pronto, já temos as potências demandadas de nossa edificação sendo 4.134VA de iluminação e tomadas e + 6.440VA para os demais circuitos, nos dando uma potência demandada total de 10.574VA.
Agora é só dividir essa nova potência demandada pela tensão de alimentação:
10.574VA / 220V = 48A

Caiu bastante né, de 63 para 48A.
Agora vamos consultar novamente a tabela 36 da NBR 5410, teríamos agora, após fazer a demanda da instalação, uma proteção geral de 50A e cabos alimentadores de 10mm². (novamente observo que estamos levando em consideração cabos com isolação em PVC e método de instalação B1 neste exemplo)